quarta-feira, 6 de julho de 2011

LINHAGEM SAGRADA 33 FAMILIAS DA ALTA NOBREZA EUROPÉIA

Sir Laurence Gardner, Kt, St Gm, KCD é conhecido, internacionalmente, como sendo um dos grandes genealogistas da atualidade. Retém títulos que, para nós, brasileiros, não revelam a enorme importância que a tradição européia lhes dá. Pedimos a ele uma entrevista a respeito dos seus livros históricos e também referentes à "Linhagem Sagrada - a Linhagem de Judah e do Santo Graal".

Gentilmente, Sir Frances nos enviou três apostilas de uma conferência sua, feita em Sydney - Austrália e também gravada em vídeo. Lá estavam, descritas em detalhes, as respostas que lhe pedimos e que vamos resumir aqui.

O assunto é polêmico, explosivo e gera debates. Mais uma vez, afirmamos a nossa imparcialidade. Estamos cumprindo com o direito e a obrigação de oferecermos noticiário importante, para os leitores brasileiros, aos quais nossa mídia, infelizmente, não faz quaisquer menções. Estes assuntos, entretanto, são conhecidos, debatidos, apresentados no rádio e na TV, em seriados. Para o povo europeu e americano, estes assuntos já são sobejamente conhecidos, analisados e debatidos.

Sir Laurence, como surgiram os seus livros sobre História Antiga e a "Linhagem do Santo Graal"? Conte como isto "aconteceu" ?Eu não tinha a intenção de escrevê-los. Eles aconteceram... Há mais ou menos dez anos atrás, trinta e três famílias da alta nobreza européia, me encarregaram de colocar em ordem as suas genealogias (árvores genealógicas). Eram documentos muito antigos, guardados nos seus cofres e bibliotecas, havia um que dizia - aberto pela última vez em 1732. - De repente, comecei a notar que estas famílias formavam a base de um triângulo cujo vértice era um só: a "Casa de Judah" e a sua descendência até aquelas famílias. Eu os convoquei e lhes disse: "Vocês não sabem o que encontrei", e eles responderam, "Todos nós já sabíamos que você iria encontrar", então gritei: "Não, não e não" e eles revidaram com um "Sim, sim, sim nós lhe pedimos que organizasse estes papéis para que o mundo, lá fora, tomasse conhecimento dos fatos e... fizemos isto por você!" E assim surgiu o primeiro livro: "Bloodline of the Saint Grail" - "A Linhagem do Santo Graal" (sem tradução, ainda, para o português).

Sir Laurence, o que significa ser um "Desposyni"? Durante a Revolta Judaica, as tropas românicas destruíram documentos genealógicos, por ordem superior, temendo os representantes da Dinastia de David, da "Casa de Judah". Africanus escreveu: - "Algumas pessoas prudentes e previdentes ocultaram os seus documentos, por se orgulharem das suas origens aristocráticas" - e Africanus os denominou "Desposyni", palavra grega para "Herdeiros do Senhor ou do MESTRE".Eusébius confirma Africanus, - "Os Desposyni" eram os mestres das suas seitas seguindo, estritamente, disposições dinásticas". - Por razões óbvias, posteriormente, foram perseguidos como "proscritos". A sua saga é a saga da "Linhagem Sagrada" - A Linhagem do Santo Graal".

Este conhecimento é considerado "material herético", por quê?
Porque a "Herança Messiânica" foi esquecida no favor de uma sucessão alternativa do tipo "self styled". Entretanto, esta é a história contada nos documentos de Mary Stuart - rainha da Escócia e nos do Rei James II da Inglaterra: é só consultá-los, não são secretos.

Eles o fizeram, procuraram a igreja de Roma e pediram que o poder espiritual lhes fosse legado, legado às "Igrejas Nazarenas de Jesus Cristo" e não centralizado em Roma. Foram rechaçados.

Qual era a mensagem da "Igreja Nazarena", a "Igreja de Jesus Cristo"? Servir ao próximo com humildade e amor: não foi isto o
que Ele realmente pregou, sendo "rei dos Judeus", descendente
de David e da "Casa de Judah"? Pregou e provou dando exemplos, como aquele de lavar os pés dos seus discípulos, Jesus queria demonstrar o - Serviço e a Humildade- verdadeiros. Jesus era NAZARENO, não porque tivesse residido em Nazareth (naquela época inexistente) mas porque pertencia a seita NAZARENA - NAZAREU ou NAZARITE, cujo lema é o Serviço Abnegado: TODOS UM.

Quando se iniciou a "Linhagem Sagrada", simbolizada pela Vinha e pelo cálice do Santo Graal? Iniciou-se com David de Bethlem, descendente de Abraão, casado com a filha de Saúl, tornando-se no "Rei de Judah". No ano de 1048 a.C. ele anexou Israel à metade da Palestina (herança da sua esposa) tornando-se no "Rei dos Judeus". A "Linhagem Sagrada" começa neste ponto. 

Como o senhor situa Jesus nesta Linhagem? De acordo com "Hebreus" 7:14, Jesus pertencia à Tribo de Judah, e era descendente do rei David. E Jesus perpetuou esta linhagem com o seu sangue, de forma simbólica, depositado no cálice: o cálice do "Sang Rèal", mais tarde evoluindo de "Sang Rèal", para "Sangraal" e finalmente: Santo Graal. O cálice do Santo Graal, verdadeiramente, é o simbolismo do útero de Maria Madalena, casada com Jesus e mãe dos seus três filhos: Jesus - Justus, Damaris (Tamaris - Palmeira) e Joseph, nascido na Provença - francesa, naquela época a Gália Imperial de Herodes Agrippa II: esta é a "Criança do Santo Graal"! Com Joseph, nasceu a "Linhagem Sagrada do Santo Graal" na Europa. Seus irmãos, como era o costume e a "Vida de Maria", mãe de Jesus (Apocryphos), nos narra fato semelhante, estavam entregues a um Monastério na Cesarea, para receberem educação condigna Sir Laurence, nos deixe tomar fôlego.

Como o senhor prova estes fatos explosivos e talvez "heréticos"?
Com os documentos das genealogias de trinta e três famílias nobres européias, onde se encontram sobrenomes históricos - Stuart, Walles, Dinastia Merovíngea (na França), Stewart, na Escócia e ... e com o Novo Testamento, nos seus códigos, nos documentos antigos que vieram à tona: Nag Hammadi, Qumran, Apocryphos, em outros documentos encontrados recentemente. 

Por exemplo: esta evidência, a do "casamento de Jesus e Madalena", foi suprimida do Evangelho de Marcos pelo bispo Clemente de Alexandria (150-215 A.D.) um dos primeiros primazes da igreja cristã. Clemente de Alexandria escreve uma carta para o seu colega Teodoro, contando que mandara apagar o episódio da Ressurreição de Lázaro (na realidade: Simão Magus-Zelote) , porque o evangelista deixara, claramente explícito, que Jesus e Madalena eram marido e mulher. Esta carta foi descoberta, acidentalmente, no ano de 1958 pelo Professor Morton Smith, professor de "História Antiga" da Universidade de Columbia - Estados Unidos, dentro de um livro de "Santo Inácio de Antióquia", encontrado no Monastério de MAR SABA - éste de Jerusalém, num manuscrito do Patriarca Ecumênico de Constantinopla quem transcreveu a tal carta. A carta é longa, nos seus livros encontra-se na íntegra, vamos resumi-la. Clemente de Alexandria diz que mandou suprimir esta parte do Evangelho de Marcos, porque não estava de acordo com as disposições da igreja e termina com uma instrução oficial,. Para serem guardados secretamente textos específicos do Evangelho de Marcos. - "Nem todas as verdades são para serem ditas à humanidade". - (sic) Clemente de Alexandria (150-215 d.C.) Mas João relatou este episódio.por alto sem explicar os detalhes do que sucedia, o que Marcos fez. João não deu conhecimento dos "ritos do Casamento" naquela época.

Só quem estuda e pesquisa, profundamente os costumes vigentes nesta ou naquela civilização ou daquele povo, como o fez a Dra. Thiering, teóloga australiana (Universidade de Sydney), respeitada e admirada por seus colegas e por eles sempre citada, nos livros que escreveram sobre os "Manuscritos Qumran". A Dra. Thiering estudou os CÓDIGOS e COSTUMES dos essênios,durante vinte e cinco anos, tornando a tarefa dos tradutores mais fácil, pela compreensão do que os essênios, realmente, estavam dizendo com os seus códigos.Este códigos estão no Novo Testamento e sempre causaram muita confusão e infidelidade nas traduções.

Como era o ritual do casamento na lei judaica nos tempos de Jesus e da "era Messiânica"? O ritual do casamento constituía-se em duas partes: na primeira, o noivado - As Bodas de Caná, possivelmente - devido ao ritual de "vinho ou água", conforme o status dos convivas. Jesus inovou este procedimento nas "Bodas de Caná", oferecendo o vinho a todos (existe aí um CÓDIGO, destes que a Dra. Thiering estudou). Adiante: "as Unções" (Messias quer dizer: ungido), feitas em Jesus por Maria Madalena, definem a 1ª e a 2ª parte do casamento.

Todos os reis davídicos e grãos sacerdotes eram Messias, Jesus não foi o único. Os leitores do I século estavam familiarizados com estes rituais e sabiam das suas divisões, referente à sacralidade do casamento de um herdeiro dinástico. No "Cântico dos Cânticos" de Salomão, Velho Testamento, temos a "Unção Matrimonial do Rei", e é definido que o óleo a ser usado pela esposa é o "óleo do Nardo", caríssimo, retirado de uma raiz oleosa dos Himalaias.

Aprendemos que esta Unção dever ser feita enquanto o marido/rei está sentado à mesa. No Novo Testamento, Madalena usa o óleo do nardo para ungir Jesus, sentado á mesa. Depois, outro rito: Maria Madalena chora, na primeira parte do casamento e seca os pés de Jesus com os seus cabelos. Todos estes detalhes eram os rituais, presentes na união matrimonial de um herdeiro dinástico.

As outras unções de Jesus foram feitas por homens e o óleo usado era o de oliva, misturado com cinamomo e outras especiarias, jamais poderia ter sido usado, como não aconteceu, o óleo do nardo, prerrogativa da "noiva messiânica".

Primeira parte unção, conforme descrita por Lucas.
Segunda parte unção, como relatada por Mateus, Marcos e João
a confirmação ou feitura do contrato matrimonial.

Entre a primeira e a Segunda etapa, segundo Flavius Josephos na "Antigüidade dos Judeus", a lei judaica explicitava que a segunda parte da cerimônia não poderia ser conduzida enquanto a noiva não engravidasse e não estivesse com três meses de gravidez.

Estas exigências eram dirigidas aos herdeiros dinásticos que deveriam, expressamente, perpetuarem a sua linhagem. A lei deveria protegê-los contra o casamento com uma mulher estéril. A "Unção" da 2ª parte, quando a "noiva messiânica" já estava grávida de, pelo menos, três meses, era feita como se, simbolicamente, o seu noivo estivesse para ser enterrado. Isto os Evangelhos confirmam As noivas, neste dia, penduravam o frasco do nardo no seu pescoço, e o frasco ali permanecia enquanto o marido fosse vivo, pois nesta unção o casamento já estaria sacramentado. Ela só usaria do nardo outra vez, para ungir o esposo no seu sepultamento. Foi isto o que Madalena foi fazer no Sábado, após a Crucifixão.

A Igreja passou por cima destes fatos, mas Fra Angélico um grande pintor e monge dominicano renascentista sabia destes rituais e louvando a união de Jesus e Maria Madalena, pintou Jesus coroando Madalena (séc. 15).

" Onde este Evangelho for pregado, em volta de todo o mundo, o que ela fez deverá ser narrado em sua memória". Palavras de Jesus.

A igreja reduziu Maria Madalena, a "Noiva Messiânica", a "Sacerdotiza" e "Princesa" da Igreja Nazarena, "Primeira Dama" da Igreja de Jesus, à categoria de prostituta. Madalena, em verdade, era a "Filha de Jairo", do Novo Testamento.

O senhor explica o "Livro do Apocalipse" [Revelação] da forma como nos ensinaram, regularmente, a entendê-lo? Este é o "Livro
da Revelação" (Apocalipse) mas com as explicações confusas que nos dão dos seus textos, seria melhor que o chamassem de : Livro da Profecia ou Livro do Aviso: por quê "Revelação"? Porque João,
o Divino, revela a história de Madalena e do filho de Jesus, o primogênito: Jesus - Justus, nos "Sete Portentos" - A Mulher e o Dragão.A descrição da mulher é a descrição da sacerdotiza - nazarena Maria Madalena:..."vestida de sol, tinha a lua debaixo
dos pés e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. E estando pejada com as dores do parto que a atormentavam... um grande Dragão vermelho... a fim de tragar ao seu filho... E deu à luz um filho varão... e a mulher fugiu para o deserto...E o Dragão começou a perseguir a mulher que tinha dado à luz um filho macho... e o Dragão virá para guerrear com os remanescentes da sua semente... que tem o testemunho de Jesus Cristo". (Versão: da Bíblia do rei James. Autorizada - Oxford Edition).

Como surgiu a "Linhagem do Graal" No ocidente, na Europa?
O exílio de Maria Madalena, também, é contado no "Livro da Revelação". Conta como os romanos a perseguiam (e ela estava grávida pela 3ª vez) e aos seus herdeiros, na ausência de Jesus, Pedro e Paulo não a ampararam. Tinham ojeriza pelas mulheres e Pedro, principalmente, tinha ciúmes de Madalena e da distinção que Jesus lhe conferia. Nag Hammadi conta este fato e o confirma.Madalena pediu ao filho de Herodes Agrippa II por socorro. Ele era um jovem de dezessete anos e simpatizava com a Igreja Nazarena. Ele a mandou para a Gália (França, hoje) que pertencia ao Império Romano.

O seu nome era Paulo e filho de Herodes - Agrippa II. Maria deu à luz Joseph, na Provença, e há referências deste fato no Novo Testamento (Atos 12;24) "A palavra de Deus cresceu e multiplicou".

A Dra. BarbaraThiering baseou os seus 25 anos de estudo sobre a decifração dos códigos, nos comentários do Velho Testamento. Estes comentários detém os segredos do Pesharim (as rotas para as decifrações vitais) produzidos pelos escribas de Qumran: Verbo ou Palavra = Jesus Cristo. (word of God).

A "Linhagem do Santo Graal" na Europa, iniciou-se assim, com Joseph. A outra parte desta linhagem, provém de José de Arimathéia, IRMÃO de Jesus - outra longa história relatada nos meus livros.

Quem era Maria Madalena?  Maria Madalena é intensamente venerada na Europa, ela morreu na Provença em 63 A.D. aos 63 anos de idade. Madalena era a "Filha de Jairo" que Jesus curou - 17 A.D. Ai entra outro código: Jesus revelou a sua religião à Maria e ela despertou do sono de morte, do estado da ignorância espiritual (Barbara Thiering). A "Vida de Maria Madalena" - Raban Maar (776-856) arcebispo de Mayence, e abade de Fuld, inspirou a fundação do "Magdalen College", de Oxford, no ano de 1400.

Sir Laurence quais são os princípios que regem o "Santo Graal" e a sua "Linhagem Sagrada"? Liberdade, igualdade e fraternidade adotado pela Revolução Francesa. A Dinastia Merovíngea, reis do Santo Graal, jamais foram governantes, apenas, como Jesus ensinou, eles foram os guardiães dos seus reinos, O código do Graal reconhece o avanço através do mérito e preserva as estruturas da comunidade acima de tudo, é extremamente democrático. Quando compreendido nas suas dimensões físicas e espirituais, o Graal pertence aos seus líderes e aos seus seguidores. O Graal, como Jesus, pertence à terra à Evolução, requer que todos sejam UM, no Serviço comum e unificado. Seu mote: "TODOS UM" (all as one).

As ordens do Graal: na Inglaterra e na Europa - Ordem Soberana do Sangraal - Cavaleiros do Santo Graal - Ordem de Sion e da Santa Sepultura. Mas a mais prestigiosa dentre todas - A Casa Real de Stewart da Escócia. Mote: "All as one". O Prieurè de Sion manteve-se leal à Dinastia Merovíngea e os templários à Casa de Stewart - Escócia.

Quem é o herdeiro direto de Jesus e Madalena, o Primaz atual da "Casa de Judah", o representante mais autêntico da "Linhagem Sagrada do Santo Graal"?  Segundo a documentação: HRH Príncipe Michael of Albany Head of the Royal House of Stewart.

http://www.jornalinfinito.com.br

Sir Frances Gardner afirma que Jesus não morreu na cruz e que o seu túmulo encontra-se em Rozabal (possivelmente) na Caxemira.
http://www.youtube.com/watch?v=7aauXxuLHnQ&feature=related

Laurence Gardner é Prior da Igreja Celta da Sagrada Irmandade de St Columba, é um genealogista internationalmente conhecido, cavaleiro e soberano. Ele foi honrado com a Chevalier Labhran de Saint Germain, é um Adido Presidencial do Conselho Europeu dos Príncipes - um corpo conselheiro constitucional criado em 1946. Ele é formalmente ligado a Casa da Nobre Guarda da Casa Real de Stewart, fundada em St German-enLaye em 1692, e é um Historiador Jacobita Real.

www.imagick.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário