quarta-feira, 28 de julho de 2010

PRECE PARA A MÃE TERRA

Abençoado seja o Filho da Luz
que conhece sua Mãe Terra,
Pois é ela a doadora da vida.

Saibas
que a sua Mãe Terra está em ti e tu estás Nela.
Foi Ela quem te gerou e que te deu a vida,
E te deu este corpo que um dia tu lhe devolverás.

Saibas
que o sangue que corre nas tuas veias
Nasceu do sangue da tua Mãe Terra.
O sangue Dela cai das nuvens, jorra do ventre Dela,
Borbulha nos riachos das montanhas,
Flui abundantemente nos rios das planícies.

Saibas
que o ar que respiras nasce da respiração da tua Mãe Terra.
O alento Dela é o azul celeste das alturas do céu
E os sussurros das folhas da floresta.

Saibas
que a dureza dos teus ossos
foi criada dos ossos de tua Mãe Terra.

Saibas
que a maciez da tua carne
nasceu da carne de tua Mãe Terra.

A luz dos teus olhos, o alcance dos teus ouvidos,
Nasceram das cores e dos sons da tua Mãe Terra,
Que te rodeiam feito as ondas do mar cercando o peixinho,
Como o ar tremelicante sustenta o pássaro.

Em verdade te digo, tu és um com tua Mãe Terra,
Ela está em ti e tu estás Nela.
Dela tu nasceste,
Nela tu vives e para Ela voltará novamente.

Segue portanto as suas leis,
Pois teu alento é o alento Dela,
Teu sangue o sangue Dela,
Teus ossos os ossos Dela,
Tua carne a carne Dela,
Teus olhos e teus ouvidos são Dela também.

Aquele que encontro a paz na sua Mãe Terra,
Não morrerá jamais.

Conhece esta paz na tua mente,
Deseja esta paz ao teu coração,
Realiza esta paz com o teu corpo.

www.pensador.info

sábado, 17 de julho de 2010

PAI NOSSO EM ARAMAICO ALINHA OS CHACRAS USANDO AS CORES TIBETANAS



Abwun d’bwashmaya
Nethqadash shmakh
Teytey malkuthakh

Nehwey tzevyanach aykanna d’bwashmaya aph b’arha.
Hawvlan lachma d’sunqanan yaomana.
Washboqlan khaubayn (wakhtahayn)
aykana daph khnan shbwoqan l’khayyabayn.
Wela tahlan I’nesyuna
Ela patzan min bisha

Metol dilakhie malkutha wahayla wateshbukhta
l’ahlam almin.
Ameyn

É desta oração que originou a versão atual do "Pai-Nosso".A prece ecumênica de ISSA ([Jesus Cristo] . Ela está escrita em aramaico,numa pedra branca de mármore,em Jerusalém na Palestina, no Monte das Oliveiras, na forma que era invocada pelo Mestre Jesus.

O aramaico era um idioma originário da Alta Mesopotâmia, séc VI ac,e a língua usada pelos povos da região. Jesus sempre falava ao povo em idioma aramaico.

A tradução direta do aramaico para o português, sem a interferência da Igreja, nos mostra como esta oração é bela, profunda e verdadeira, condizente com o Mestre Jesus.

Pai-Mãe, respiração da Vida,
Fonte do som, Ação sem palavras, Criador do Cosmos !
Faça sua Luz brilhar dentro de nós, entre nós e fora de nós
para que possamos torná-la útil.

Ajude-nos a seguir nosso caminho
Respirando apenas o sentimento que emana do Senhor.
Nosso EU, no mesmo passo, possa estar com o Seu,
para que caminhemos como Reis e Rainhas
com todas as outras criaturas.

Que o Seu e o nosso desejo, sejam um só,
em toda a Luz, assim como em todas as formas,
em toda existência individual,
assim como em todas as comunidades.

Faça-nos sentir a alma da Terra dentro de nós,
pois, assim, sentiremos a Sabedoria que existe em tudo.
Não permita que a superficialidade
e a aparência das coisas do mundo nos iluda,
E nos liberte de tudo aquilo que impede nosso crescimento.

Não nos deixe ser tomados pelo esquecimento
de que o Senhor é o Poder e a Glória do mundo,
a Canção que se renova de tempos em tempos
e que a tudo embeleza.

Possa o Seu amor
 ser o solo onde crescem nossas ações.
Que assim seja !!!
Para alinhar os Chacras com o
Pai Nosso em Aramaico
 usando as cores Tibetanas

Chacra da Coroa

Ab-wun d'bwash-maya

Chacra do Terceiro Olho
Nethqadash shmakh

Chacra da Garganta
Teytey malkuthakh
Nehwey tzevyanach aykanna

Chacra Cardiaco
d'bwashmaya aph b'arha

Chacra do Plexo Solar
Hawvlan lachma d'sunqanan yaomana

Chacra da Alma
Washboqlan khaubayn [wakhtahayn]
aykana daph khnan shbwoqan l'khayyabayn

Chacra da Base
Wela tahlan I'nesyuna
Ela patzan min bisha

Selar com
Metol dilakhie malkutha
wahayla wateshbukhta
l'ahlam almin
Ameyn  
Site Sintonia Saint Germain

sábado, 10 de julho de 2010

EVANGELHO AQUARIANO DE JESUS CRISTO

Em 1908, foi publicado nos Estados Unidos da América o livro "O evangelho aquariano de Jesus Cristo", de autoria do médico, pastor e pesquisador Levi H. Dowling.

Este, depois de 40 anos de pesquisa, relata que o príncipe indiano Ravana de Orissa encontrou e ouviu Jesus aos 12 anos de idade no templo e levou-o para a Índia para que pudesse aprofundar seus estudos na escola do templo de Jagannath, aprendendo as leis de Manu e os Vedas.  Lá, Jesus surpreende seus mestres com sua inteligência e atrai a ira dos brâmanes pela sua postura crítica.

No livro, há referências da viagem de Jesus pelo Himalaia até chegar ao Tibete, onde estuda os manuscritos dos mestres do templo de Lhasa, retornando posteriormente à região do Sindh e ao Oriente Próximo.

Mais tarde, em 1973, o semanário alemão Der Stern nº 16 publicou uma reportagem ilustrada com fotografias, onde um professor afirmava ter descoberto o túmulo de Jesus Cristo em Srinagar, capitar da Caxemira. Segundo ele, Jesus teria passado a sua juventude na Índia e, mais tarde, após sobreviver à crucificação, voltara àquele país para viver como guru até a sua morte em idade avançada.

Tomando por base estes indícios, o teólogo alemão Holger Kersten foi para a Índia em 1979 com o objetivo de estudar os manuscritos encontrados por Nicolai Notovich e localizar o túmulo do profeta Issa. Percorreu ainda o Afeganistão, o Oriente Médio e Israel. Sua pesquisa foi comparada com a análise do Santo Sudário, resultando no livro "Jesus viveu na Índia", publicado na Alemanha em 1983.

Segundo Kersten, no período em que estudou na Índia, Jesus atingiu o mais alto grau de ascetismo, o que lhe possibilitou a realização de milagres e a levitação. Devido ao controle total que possuía sobre sua mente e seu corpo, foi capaz de sobreviver ao suplício da crucificação e ir para a Índia.

Uma coisa que chamou a atenção de Kersten foi o molde em relevo das pegadas do profeta Issa encontrado no túmulo localizado no centro da cidade antiga de Srinagar. Nelas, foram esculpidas as marcas da crucificação!

Se tudo não passa de mera coincidência somente o tempo dirá. Os conhecimentos evoluem diariamente e aquilo que até pouco tempo se tomava como verdadeiro, hoje já está superado. Com a história de Jesus Cristo não vai ser diferente e dentro de alguns anos o mistério de sua vida estará esclarecido.

www.usinadeletras.com.br